terça-feira, 26 de julho de 2011

Quantas noites acordou com lágrimas frenéticas emergidas de seus olhos, nos quais os mesmos ardiam de modo incessante e eram predominados pela vermelhidão de horas perdidas de sono. Ela sentia algo preso em sua garganta, mas não entendia ao certo o que era, somente precisava que ele fosse desfeito. Queria poder fugir, sumir. Sabia que aquela fase iria passar, mesmo com o relógio congelado, pulsando cada vez mais devagar e com a dor martelando incontrolavelmente com mais força em seu peito. Ela se sentia só. E por um momento pensou em ligar para ele. Fazê-lo lembrar de tudo o que era real demais e acabou. Não sabia se era realmente ódio o que sentia, mas doía. E em uma escala assombrosa.
Mas enfim, com um tempo enorme a ferida em seu pequeno e frágil coração, cicatrizou. Quando via ele esperava pela dor, acreditava que iria sentir o coração ser despedaçado de novo. Mas cessou. A dor não vinha mais. Só a pena que restava dele. Ela havia percebido que não havia nada de ruim consigo, porque lhe ofereceu todo amor do mundo. Ela o amava como ninguém. Mas isso não bastou. Ele infelizmente foi fraco demais e escolheu o mais fácil. O que estava ali. Tão perto. Por isso estava com a outra. Mas nos mesmos olhos que via sinceridade, agora ela via angústia. Porque ele não era feliz, e nem a fazia feliz. Somente a aceitou, porque estava mais acessível. Não tinha desafios. Não demorou muito para ela notar que nunca precisou dele como achava. E que cada lágrima que escorria pelo seu rosto ia para o fundo de sua alma para torná-la mulher. Ele não é, e não foi homem suficiente para lhe ter, porque de simples covardes, o mundo está cheio.

Bom Dia,Boa Tarde ou Boa Noite Pra Você....

Que veio me visitar no meu cantinho,fico sempre muito grata com cada visita que recebo aqui e agradeço de coração. O tempo foi ficando ape...